quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Um poema sobre o Açaí


Açaí

Em tigela ou cuia,
Toma-se esse suco roxo,
Dele se usa tudo,
Até mesmo o seu caroço.
Bebe com farinha d’água
Feita da mandioca,
Ou misturado e gelado
Com farinha de tapioca.

Pode se chamar juçara,
Ou até mesmo açaizeiro,
Toma-se com açúcar doce,
Ou mesmo sem muito floreio.

Tanto faz, como tanto fez,
Nada diminui esse desejo,
De ser consumida,
Por esse povo belo e guerreiro
Que no mercado de ferro,
O grande Ver-o-Peso,
Expõe seu grande apreço.

Mesmo não se tomando o suco,
Pode também embelezar
Que nas mãos do artesão
Um belo cordão a ornamentar.

Dos teus caroços um belo mosaico
Enfeita o pescoço da bela cabloca
Desse estado, o meu Pará.
Arte aprendida com os índios,
Repassada aos filhos
Através desse belo idílio.

Nas lendas se chama iaçá
Uma planta que não pára de chorar
Em nosso coração,
Sua semente a brotar
Pequenas lágrimas roxas,
Açaí quero te chamar.

Thiago Azevedo

Via
http://mangaepoesia.blogspot.com

2 comentários:

Antonio disse...

Caro amigo e irmão Sammis :
visito o seu blog mais uma vez e com muito prazer, sempre. Fico feliz em saber que você está bem e que procura tornar todos ao seu redor, bem também..um abraço
Touché,.

SUSTENTABILIDADE: PLANTE ESSA IDEIA! disse...

Açaí, meu vício, minha paixão. O ouro negro da minha terra. Parte da nossa terra e da nossa cultura.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...